Introdução

Fala pessoal, beleza?

Pra quem não me conhece, meu nome é Matheus Barone, sou de Santos/SP. E atualmente trabalho como desenvolvedor Front-end na UOL.

Sempre que alguém me pergunta qual é a minha profissão, fico meio na dúvida sobre o que falar, e acabo optando por “Web-designer”, que é o termo mais conhecido pelo público em geral.

Grande parte disso se dá pelo fato dessa profissão ser extremamente nova, o que significa que as pessoas que não trabalham com tecnologia dificilmente vão saber do que se trata.

Então, se você passa pelo mesmo problema que eu, ou, caiu aqui de paraquedas, seja bem-vindo!

Pega uma pipoca, um refrigerante, e vem comigo.

Tá, mas, o que exatamente você faz?

A gente faz arte, com código.
A gente faz arte, com código.

Bom, primeiro é importante saber que o termo desenvolvedor “Front” ou “Back” - end, é o nome dado para programadores voltados para a Web (Por isso acabo utilizando “Web-designer” como resposta para a minha profissão).

A Web nada mais é do que a possibilidade de você, no conforto da sua casa, acessar informações armazenadas em computadores do outro lado do mundo. Esses computadores são chamados de servidores.

Quando você acessa um site, seu navegador (Chrome, IE, Firefox) se conecta ao servidor onde ele está hospedado, e faz o download de informações como textos, imagens e vídeos. Em seguida, essas informações são interpretadas e renderizadas na tela para que você possa interagir com elas.

E onde entra o tal do “Front-end”?

Até um tempo atrás, essa interação era limitada, uma vez que o usuário acessava as informações apenas na tela do computador. Tanto que, a mesma pessoa que as manipulava do lado do servidor, também cuidava delas do lado do cliente.

Porém, desde que os smartphones se popularizaram, ocorreu uma grande mudança de paradigmas no desenvolvimento web, obrigando as empresas a especificarem as funções.

Uma galera focou apenas em manipular as informações do lado do servidor, os chamados “Back”-end, enquanto outra galera foi cuidar do lado do usuário, os chamados “Front”-end.

Illustração - Front-end vs Back-end.
Illustração - Front-end vs Back-end.

Essa divisão foi necessária porque hoje em dia existe um infinito número de telas e dispositivos capazes de acessar essas informações. Fora que é muito importante que essas páginas sejam otimizadas para serem acessadas em conexões lentas, como o 3g.

Isso sem levar em conta a parte de rankeamento do site, que eu vou deixar para abordar em outro post.

Em resumo:

O Desenvolvedor Front-end é responsável pela manipulação das informações enviadas para o navegador pelo servidor. O objetivo é fazer com que o usuário consiga acessar essas informações da forma mais rápida e intuitiva possível.

A missão é difícil e complexa. O fato de ser uma profissão nova, faz com que ela esteja em constante evolução. Isso obriga o profissional a estar sempre atento, estudando, se não em pouco tempo tudo o que você sabe se torna obsoleto.

Por outro lado, se olharmos o gráfico de buscas pelo termo “Front-end developer”, veremos como a necessidade por esse profissional vem crescendo com o decorrer dos anos, e a tendência é essa curva continuar aumentando.

Busca pelo termo 'Front-end developer' de 2004 até 2017
Busca pelo termo "Front-end developer" de 2004 até 2017.

Para ilustrar um pouco mais tudo o que esta sendo abordado no post, vou deixar aqui essa palestra do Shankar no Frontinsampa 2014, que me inspirou bastante a seguir na área. Ele consegue, de uma forma leve e engraçada, demonstrar a importância do Desenvolvedor Front-end nos dias atuais.

Se você se interessou pela área, eu escrevi um post no medium que pode te ajudar a começar.

Bom pessoal, acho que é isso. Se gostarem do assunto, coloquem nos comentários que irei me aprofundar mais nesse tema nos próximos posts. Críticas, e sugestões são sempre bem-vindas.

Valeu!